terça-feira, 26 de julho de 2011

Arquivo da Falésia Azul - Casos 5, 6, 7 e 8

Caso 5: "O Grão de Arroz" de Seppo



Seppo, ensinando a assembléia, disse:

"Quando vocês pegam toda a terra em seus dedos, ela é do tamanho de um grão de arroz. Lanço-o a vossos pés. Como em um balde de laca preta, vocês

não o reconhecem mais. Batei o tambor, chamai a todos para procurar por ele!"





Caso 6: "O Bom Dia" de Unmon



Unmon, dando instruções, disse:

"Eu não lhes pergunto sobre antes do décimo-quinto dia; tragam-me uma frase sobre

após o décimo-quinto dia."

Unmon respondeu ele mesmo no lugar dos monges,

"Todo dia é um bom dia."



Caso 7: Eco pergunta sobre Buda



Um monge perguntou a Hogen: "Eu, Eco, pergunto a você, Mestre. O que é Buda?"

Hogen disse: "Você é Eco."



Caso 8:  "As Sobrancelhas" de Suigan



No final do verão [1], Suigan instruiu a assembléia, dizendo:

"Todo o verão tenho pregado a vocês, meus irmãos. Olha aqui, as sobrancelhas de Suigan ainda estão aí? [2]"

Hofuku disse,

"O coração do ladrão está aterrorizado!"

Chokei disse,

"Elas estão bem crescidas!"

Unmon disse,

"Kan" [3]



[1]: Verão - sesshin para 3 meses.

[2]: Segundo a crença popular um grande criminoso deve perder as sobrancelhas

como um sinal de sua iminente punição no inferno.

[3]: Literalmente kan significa "barreira" (cf. Mumonkan). Naqueles dias, esta palavra  chinesa significava também coloquialmente, "Cuidado!" ou "Aí!"