quarta-feira, 27 de julho de 2011

Arquivo da Falésia Azul - Caso 18

A Lápide do Mestre Nacional



Imperador Shukuso [1] perguntou a Chu, o professor nacional,

"O que você gostaria que eu fizesse depois de cem anos?" [2]

O professor nacional disse,

"Faça uma lápide perfeita [3] para este velho monge."

O imperador disse:

"Gostaria de pedir-lhe, mestre, um desenho."

O professor nacional permaneceu em silêncio por um longo tempo. Então ele disse:

"Você entendeu?"

O imperador disse:

"Eu não entendi nada."

O professor nacional disse,

"Eu tenho um sucessor no Dharma, meu discípulo Tangen, que é bem versado nesse assunto. Permita que ele o visite e pergunte a ele sobre isso."



Depois que o professor nacional faleceu, o imperador chamou e perguntou a Tangen sobre o significado disso. Tangen respondeu:

"O sul do rio, ao norte do lago:

(Setcho comentou: "A única mão não soa sem razão.")

No meio há ouro, que preenche toda a terra.

(Setcho comentou: "Um cajado, recém-cortado da floresta da montanha.")

Sob a árvore sem sombras todas as pessoas estão em um barco;

(Setcho acrescentou: "O mar está calmo, o rio está claro".)

No palácio de cristal não há ninguém que saiba.

(Setcho comentou: "O discurso está terminado".)"



[1] historicamente falando, foi o Imperador Daiso, o filho mais velho e sucessor

de Shukuso.

[2] após sua morte

[3] uma lápide em formato oval, que é feita de uma única peça de pedra.

Era frequentemente construída para monges falecidos.